Dia da revolução egípcia – 70· aniversário, 23 de julho de 1952

Hoje no Egito se comemora o golpe militar de 23 de julho de 1952, que levou ao fim da monarquia encerrando o período do Reino do Egito, e ao estabelecimento de uma república. É considerado o Dia Nacional do Egito.

Vou explicar um pouco para entendermos melhor o que foi a revolução.

No entanto, o Egito ainda não era visto como totalmente independente, a Grã-Bretanha ainda exercia uma forte influência. Houve também um crescente descontentamento devido à perda da Guerra Árabe-Israelense de 1948, ao qual muitos culparam o rei Farouk pela guerra.

Rei Farouk do Egito se casa com Safinaz Zulfiqar em 1938

O Egito passou por uma época de colonização inglesa. A Grã-Bretanha começou seu controle do Egito em 1882. Então, em 1922, o Reino do Egito foi estabelecido e concedido a independência da Grã-Bretanha. Depois de mais de cem anos de controle, a Grã-Bretanha reconheceu oficialmente o Reino do Egito como um país independente em 1922.

O golpe foi realizado por um grupo clandestino chamado Oficiais livres, liderados pelo Gen. Mohamed Naguib. O grupo de ex-oficiais do exército havia sido estabelecido por Gamal Abdel Nasser em 1949 para planejar um golpe contra o governo do rei Farouk. Foi um golpe sem derramamento de sangue. O povo egípcio ganhou total liberdade tanto do Império Britânico quanto de uma monarquia ineficiente.

Na manhã de 23 de julho, os Oficiais Livres ocuparam prédios do governo, estações de mídia e outras infraestruturas críticas. Muhammad Naguib liderou os Oficiais Livres ao declarar o Egito um estado democrático. Em 26 de julho, o rei Farouk se rendeu.

Rei Farouk e família

Mas antes que o rei abdicasse do trono, os Oficiais Livres lhe enviaram um aviso em nome do tenente-general Mohammad Naguib, na manhã de 26 de julho, então o que veio nesse aviso?

De acordo com o livro “Rei Ahmed Fouad II”, escrito por Adel Hammouda, o aviso dizia:

“Do tenente-general Mohammad Najib, em nome dos oficiais do exército, a sua majestade o rei: é devido ao caos abrangente que o país enfrentou na última era, todas as instalações foram permeadas como resultado de sua má conduta, adulteração com a constituição e desrespeitando a vontade do povo até que todos ficassem inseguros sobre sua vida, propriedade ou dignidade.

Mohamed Naguib e Gamal Abdel Nasser

A reputação do Egito entre os povos do mundo piorou devido à sua persistência nesse comportamento, na medida em que traidores e venais encontraram proteção, segurança, riqueza obscena e extravagância vergonhosa às custas do povo pobre e faminto.

Isso se manifestou na guerra da Palestina nos escândalos das armas corruptas e os consequentes julgamentos que foram submetidos à sua flagrante interferência, onde você corrompeu os fatos e desestabilizou a confiança na justiça, ajudando os traidores a escapar da punição. Como as pessoas podem não seguir a religião de seus reis?

Portanto, o exército, representando o povo, autorizou-me a pedir a Vossa Majestade que abdicasse do trono a Sua Alteza, seu Príncipe Herdeiro, Príncipe Ahmed Fouad, desde que isso fosse feito até as 12 horas de sábado, 26 de julho de 1952, e deixar o país antes das 18 horas do mesmo dia, enquanto o exército responsabiliza Vossa Majestade por todas as consequências de ir contra a vontade do povo”.

Após essa decisão, Farouk I partiu do Egito com sua esposa, a rainha Nariman e o resto de sua família, incluindo o novo rei Ahmed Fouad. Isso aconteceu dias após a erupção da Revolução de 23 de julho.

Oficiais livres

A partida do ex-rei para o exílio ocorreu em 26 de julho de 1952 e às 6 horas daquela noite ele partiu para a Itália com proteção do exército egípcio . Em 28 de julho de 1953, Muhammad Naguib tornou-se o primeiro presidente do Egito, que marcou o início da governança egípcia moderna.

Rei Farouk no exílio

Durante este período do novo governo, o Egito desfrutou de uma rápida modernização. Os cidadãos logo receberam o direito de votar e as mulheres ganharam mais direitos.

Todos os anos, o dia é comemorado oficialmente, e é feriado nacional. O presidente egípcio emite uma declaração pública onde fala sobre a revolução, e há uma celebração organizada pelo ministro da Defesa.

O primeiro-ministro do Egito, Mostafa Madbouly, emitiu uma decisão de que sábado, 23 de julho, seria um dia de folga pago integral para os funcionários dos setores público e privado, em observância ao aniversário da Revolução de 23 de julho. O feriado é mais para o setor público, pois o comércio está sempre aberto.

2 respostas para “Dia da revolução egípcia – 70· aniversário, 23 de julho de 1952”.

  1. Nossa! Se for pensar, é bem recente!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Sim 1952, o resto da família real está na Europa ainda, as vezes vêm aqui tirar férias

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: